Resenha - Wake: Despertar
|
Wake: Despertar - Lisa McMann


Em Wake somos apresentados a  história de Janie e seu terrível poder de entrar nos sonhos das pessoas. Não é algo que ela possa controlar, pois se uma pessoa simplesmente dorme, sonha e não há nem uma porta ou parede que a separe dela, inevitavelmente Janie é sugada para o sonho. Também não seria tão ruim se não lhe tirasse momentaneamente a visão, lhe doesse os músculos e sugasse toda a sua energia.
Quando entra nos sonhos das pessoas, sejam pesadelos ou não, Janie simplesmente é uma expectadora que não consegue fazer mudar o sonho ou qualquer coisa, porém isso muda quando entra um pesadelo horrível em que ela, para sua surpresa, faz parte.
            Eu amei Wake. Amei mesmo, apesar da primeira impressão não ter sido muito boa. Isso porque a narração é tão diferente do que eu estou acostumada a ler, que estranhei um pouco no início. O negócio é: ele é em terceira pessoa, o que não é nada de outro mundo, mas os verbos estão no presente, além de que, é praticamente escrito inteiramente com frases curtíssimas. Por exemplo:

"Janie ajusta o maxilar.
Está cansada de chorar.
Recusa-se a fazer ceninhas.
Quando volta a sentir os dedos dos pés, fica em pé, pega seu casaco e sua mala feita da noite para o dia, e vai cambaleando até a porta."

Percebe a diferença? Eu particularmente nunca tinha lido um livro assim, mas eu gostei. Li muita resenha por aí dizendo que essa escrita da Lisa é horrível, chata e sem sentido. Eu não achei. Muito pelo contrário, achei que essa foi a maneira que ela encontrou de pôr um pouco de dinamismo e movimento na história. O único lado ruim é que você lê o livro numa tarde só, se não menos (eu li em umas quatro horas).
O livro tem a capa belíssima e eu gostei bastante das personagens. A Janie, que não é uma mocinha sofredora, frágil, ela simplesmente sobrevive e luta; o Cabel, que é um mocinho cheio de defeitos e completamente normal (nada que corpo perfeito, com olhos perfeitos e rosto esculpido em mármore); e a mãe e amiga de Janie que consquistaram minha total antipatia.
            Enfim, Wake é um livro que ou você gosta ou você detesta. Não existe um meio termo. Eu adorei e digo que vale a pena da uma olhadela. Sua continuação é Fade e o último livro Gone. Com certeza vou ler!

Até mais :)



4 comentários:

Passaporte Literário disse...

E a maioria das pessoas DETESTA.
Mas tenho a mesma opinião que a sua, eu gostei.
Demorei a me acostumar com a escrita, mas depois ela flui normalmente, só não consegui me apegar aos detalhes como "passar do tempo" que aparece em cada capítulo (no título).
o que eu mais gostei desse livro, é que ele não tem "final feliz". O bem não vence o mal com a força do amor. Os dilemas são resolvidos, mas os personagens não morrem num "felizes para sempre", eles continuam vivendo suas vidas de modo bem real (lógico, se você ignorar o fato da Jamie entrar em sonhos).

Beijos
Isabela Souza
www.passaporteliterario.com

Patricia Araujo disse...

Eu não gostei, AMEI... a trilogia é perfeita.
Bjos.

Lígia Paulino disse...

Sou suspeita a falar, assim como você estranhei a escrita no começo, mas depois fui me adaptando e hoje posso dizer que é uma das minhas séries preferidas! Já li os três livros, só não criei coragem para fazer resenha para o blog, ainda. Mesmo assim o meus preferido é WAKE.. ainda fico na dúvida.. vou reler para ver se eu ainda prefiro o primeiro! Bjuu

Camila Soares disse...

Eu adorei Wake e Fade, mas infelizmente ainda não li Gone, toda vez que ia comprar livros botava outros na frente dele.
E o pior é que li já faz uns 02 anos então lembro de pouquíssimo :(

Beijos
Camila S.
http://resenhandolivrosefilmes.blogspot.com.br

Deixe um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...